All for Joomla All for Webmasters

Han Solo: uma história Star Wars | O maior erro de continuidade da saga no cinema

Sandro Schmitz dos Santos – Analista e Consultor Internacional, nerd convicto e apaixonado por cinema e literatura.

Desde que a franquia Star Wars foi adquirida pela Disney ela iniciou o processo de expandir a história da saga, começando pela própria saga principal filmando os três capítulos finais, e, dando origem a uma série de spin offs da franquia. Para quem acompanha há décadas a saga, assim como o Universo Expandido, nada do que foi lançado é novidade, contudo muita gente é passageiro de primeira viagem no Universo Expandido, e, muitos, inclusive na saga principal.

Antes de falar de Han Solo é interessante explicar um pouco a divisão clássica que se faz na linha do tempo de Star Wars. A trilogia original, que se inicia com Star Wars – Episódio IV: Uma nova esperança, é a que dá origem ao cânone da saga. Antes um esclarecimento: a trilogia que conta a trajetória de Anakin Skywalker até se tornar Darth Vader é chamada de prequel que é uma obra que conta alguma história anterior em relação ao filme original, já a trilogia que está em andamento é denominada como sequel, pois é a sequência de um filme de sucesso. Já o spin off ocorre quando um filme deriva de outro.

Todavia, a saga Star Wars tem causado uma certa celeuma nesse ponto, pois os filmes derivados não podem ser considerados spin offs em seu sentido clássico, pois as histórias utilizadas, não integralmente, integram o Universo expandido de Star Wars. Este universo expandido é considerado canônico pela Lucas Films, e, suas histórias integram o universo Star Wars, contudo estão abaixo do cânone estabelecido pelos filmes. Em função deste fato a observância a cronologia da saga é de vital importância, pois é fundamental para seu entendimento. E é justamente neste item, cronologia, que Han Solo comete sua maior falha.

O filme Han Solo com certeza foi o filme mais criticado de todos os já lançados após a trilogia original, mesmo com todas as críticas que foram feitas a Star Wars – Episódio I: A ameaça fantasma. Muito se deve ao fato do descolamento da história com o Universo Expandido e a história de Han Solo na série Legends. Apesar de toda a expectativa gerada, o filme decepcionou muita gente. Sem dúvida que o filme é o mais fraco da saga, mas também teve o azar de ser posterior a “Rogue One” filme que o antecedeu nos spin offs e foi muito bem realizado ao mostrar os fatos imediatamente anteriores a “Uma nova esperança” e a origem do nome do esquadrão de X-Wings que Luke Skywalker integra.

Agora, alerta de spoiler, pare imediatamente se não quiser saber mais do filme, Han Solo comete o maior erro de continuidade da história da saga, e, um dos maiores da história do próprio cinema. Para quem conhece bem a saga, ou mesmo quem não conhece e é atento ao filme, deve ter observado que no início do filme, em torno de 15 minutos, Han Solo ao escapar da perseguição no espaço porto visualiza uma propaganda imperial convidando os jovens a se juntarem a Marinha Imperial. Ele de imediato se alista ao Império.

Ocorre, porém, que no final do filme após Qi´ra matar Dryden ela ordena que ele, Han, saia da nave que em breve irão se encontrar. Após a saída de Han, Qi´ra liga um comunicador e chama o líder da Aurora Escarlate que, surpreendentemente, é Darth Maul. Temos um enorme problema temporal aí, pois Darth Maul foi morto por Obi Wan Kenobi no Episódio I, não sem antes matar Qui Gon Jin, durante o cerco de Naboo pela Federação do Comércio, ainda na República. Observem que se considerarmos a cronologia dos fatos teremos, no mínimo, quinze anos entre a morte de Darth Maul e os fatos ocorridos no filme Han Solo, portanto um erro imperdoável dos diretores.

É possível imaginar a época com certa precisão, pois temos informações do filme e da série canônica. Quando Luke conversa com Han no “Episódio IV – Uma nova esperança”, ele tem, em torno, de quarenta anos. Se pensarmos que os eventos descritos em Star Wars Rebels ocorrem catorze anos depois do “Episódio III – A vingança dos Sith” é possível estimarmos que tudo que ocorre no filme “Han Solo – Uma história Star Wars” transcorrem cinco anos após o estabelecimento do Império e a tomada de poder pelo Imperador Palpatine ou Darth Sidious. Assim sendo, não existe possibilidade dentro do universo de Star Wars de Darth Maul estar vivo no período abrangido pelo filme. Um erro desta magnitude na saga deixa todos adoradores de Star Wars extremamente apreensivos com o que há por vir. Espero que algo assim não se repita.

Um pequeno adendo: Darth Maul é um personagem muito pouco trabalhado na saga cinematográfica apesar de ser um dos vilões mais interessantes do Universo Expandido de Star Wars. Sua história se localiza nos anos anteriores a queda da República e ele é o principal agente de Darth Sidious [Palpatine] no início de seus planos. Para quem quiser saber mais sobre este guerreiro Sith dois livros são essenciais: Darth Plagueis de James Luceno, lançado no Brasil pela editora Aleph, e, Darth Maul – Shadow Hunter, de Michael Reaves lançado pela Ballantine Books de Nova Iorque, sem tradução no Brasil até o momento. E, como não poderia deixar de ser: may the force be with you.