All for Joomla All for Webmasters

Shingeki no Kyojin – Editor Comenta Sobre Rumores de Censura

Não há como negar que Shingeki no Kyojin é violento. O anime é um dos títulos mais importantes da indústria de animes atual, mas os “recém-chegados” à vida otaku nem sempre estão preparados pelo quão brutal ele pode ser. Ao longo das suas duas temporadas e alguns OVAs, a série se popularizou dentre e fora do Japão, ganhando uma legião de fãs em escala global.

Apesar de sua terceira temporada ter sido confirmada, a notícia de que o anime mudará de emissora, preocupou os fãs. A NHK é uma das maiores do Japão, abrangendo quase todo o território nacional. O motivo de preocupação é que, por ter uma maior abrangência, as cenas mais violentas podem ser censuradas.

A boa notícia é que não é necessário nos preocuparmos, de acordo com o editor Kawakubo Shintaro, dizendo em seu Twitter a seguinte mensagem:

“Imagino que vocês estejam preocupados, claramente, sobre as coisas que vêm com a mudança de emissora das quais não se limitam apenas à NHK. Claro, eu também estava preocupado, mas não devem ter problemas. A equipe de produção pode fazer o que bem entender, então, por favor, não fiquem preocupados.”

Bom, se é o que o editor diz, então tudo bem… parece que teremos várias cenas brutais a caminho. (Ufa).


Para aqueles que não estão familiarizados com Shingeki no Kyojin, a série foi originalmente criada por Hajime Isayama e começou a ser lançada pela revista Kodansha Bessatsu Shonen em 2009. Desde então, o mangá lançou 24 volumes e está entre os mais vendidos do Japão.

A história se passa em um mundo onde a população que restou da humanidade vive em uma região cercadas por enormes muralhas com o intuito de escapar dos perigosos Titans, uma raça de enormes monstros com forma de humano que se alimentam da raça humana. Eren Yeager, depois de ter sua cidade natal devastada pelos Titãs, que romperam a muralha, se junta com seus amigos de infância Mikasa e Armin e entram para as tropas militares em busca de vingança contra os gigantes.